Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Inflação do aluguel acelera para 0,10% em novembro

Varejo pressiona IGP-M de outubro devido à mudança de comportamento nos preços dos alimentos

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

27 de novembro de 2009 | 08h19

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), muito usado para cálculo de reajustes nos preços de aluguel, acelerou para 0,10% em novembro, ante a taxa registrada em outubro, quando subiu 0,05%. A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 27, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A FGV anunciou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-M de novembro.

O Índice de Preços por Atacado - Mercado (IPA-M) também acelerou este mês, com avanço de 0,08% em novembro, em comparação com a alta de 0,04% em outubro. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor - Mercado (IPC-M) teve alta de 0,14% este mês, após registrar elevação de 0,03% em outubro. Já o Índice Nacional do Custos da Construção - Mercado (INCC-M) registrou aumento de 0,18% este mês, em comparação com a taxa positiva de 0,13% em outubro.

 

Segundo a FGV, a aceleração na taxa do IPC-M, de outubro para novembro (de 0,03% para 0,14%) foi influenciada principalmente por mudança de comportamento nos preços dos alimentos, que estão caindo menos (de -1,08% para -0,11%). No varejo, a inflação junto ao consumidor mensurada pelo IPC-M acumula altas de 3,75% no ano e de 4,36% em 12 meses até novembro, sendo que o IPC-M representa 30% do total do IGP-M.

No ano até novembro, o índice acumula queda de 1,46%. Em 12 meses, a taxa acumulada do indicador também é negativa, de 1,59%. O período de coleta de preços para cálculo do indicador desse mês foi do dia 21 de outubro a 20 de novembro.

 

Atacado

 

Os preços dos produtos agrícolas no atacado subiram 0,74% em novembro, em comparação com a queda de 0,92% em outubro. De acordo com a fundação, ainda no atacado, os preços dos produtos industriais atacadistas registraram queda de 0,14% em novembro, após subir 0,35% em outubro.O IPA-M acumula quedas de 3,94% no ano, e de 4,35% no acumulado em 12 meses até novembro, sendo que o IPA-M representa 60% do total do IGP-M.

 

Na análise por produtos, as altas de preços mais expressivas no atacado em novembro, no âmbito do IGP-M, foram registradas em batata-inglesa (31,22%); cana-de-açúcar (4,36%); e milho em grão (5,22%). Já as mais expressivas quedas de preço no atacado em novembro foram apuradas em leite in natura (-6,78%); carne bovina (-4,75%); e adubos e fertilizantes compostos (-6,05%).

 

 

Construção

 

Na construção civil, o INCC-M acumula altas de 3,01% no ano e de 3,24% em 12 meses até novembro.De acordo com comunicado, a aceleração na taxa do INCC-M, de outubro para novembro (de 0,13% para 0,18%) foi causada principalmente por um avanço maior na taxa de inflação de mão-de-obra (de 0,06% para 0,21%).

 

A FGV informou ainda que, ao analisar a movimentação de preços entre os produtos usados para calcular o INCC-M, as altas de preço mais expressivas foram apuradas em projetos (0,94%); servente (0,26%); e tijolo/telha cerâmica (0,85%). Já as quedas de preço mais significativas foram registradas por condutores elétricos (-4,00%); vergalhões e arames de aço ao carbono (-0,43%); e madeira para telhados (-0,55%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.