Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

'Inflação do aluguel' vem acima das expectativas e sobe 0,82% em maio

Variação acumulada em 2016, até maio, é de 4,15%; em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 11,09%

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2016 | 08h47

SÃO PAULO - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), referência para reajuste dos contratos de aluguel, acelerou de 0,33% em abril para 0,82% em maio, divulgou nesta segunda-feira, 30, a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado de maio ficou acima do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pela Agência Estado, entre 0,61% e 0,79%, com mediana de 0,75%.

A variação acumulada em 2016, até maio, é de 4,15%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 11,09%.

Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o Índice de Preços ao Produtos Amplo(IPA-M) saiu de 0,29% em abril para 0,98% em maio. Na mesma base de comparação, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) foi de 0,39% para 0,65%. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) desacelerou de 0,41% para 0,19%. 

Os preços dos produtos agropecuários no atacado, que compõem o IPA-M, subiram 2,58% em maio, após registrarem alta de 1,35% em abril. Os preços de produtos industriais avançaram 0,30%, ante recuo de 0,15% em abril.

Os preços dos bens intermediários avançaram 0,45% em maio, ante deflação de -1,03% em abril. Já a variação dos bens finais foi de +0,22%, após elevação de 0,37% no mês anterior. Na mesma base de comparação, os preços das matérias-primas brutas subiram 2,64%, ante alta de 1,78% em abril.

De acordo com a FGV, entre as maiores influências de alta no IPA de maio estão Soja (em grão) (-1,59% em abril para 12,38% em maio), Farelo de soja (-8,56% para 17,03%), Milho (em grão) (7,59% para 7,93%), Batata-inglesa (12,29% para 27,34%) e Minério de ferro (ainda que tenha desacelerado de 7,11% para 3,98%). 

Já na lista de maiores influências negativas estão Bovinos (0,01% para -2,28%), Álcool etílico hidratado (-11,96% para -12,63%), Mandioca (aipim) (-12,71% para -9,80%), Álcool etílico anidro (-7,83% para -16,65%) e Aves (0,93% para -3,50%).

Habitação. A principal contribuição para a aceleração registrada no Índice de Preços ao Consumidor (IPC) veio do grupo Habitação. De abril para maio, o IPC acelerou de 0,39% para 0,65%. No mesmo período, Habitação saiu de recuo de 0,28% para uma alta de 0,38%. Nesta classe de despesa, a FGV destacou o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de -3,65% para 0,41%.

De acordo com a FGV, também foi registrado acrescimento nas taxas de variação de outras quatro classes de despesas. O grupo Saúde e Cuidados Pessoais (1,33% para 2,21%), influenciado pela alta de medicamentos em geral (3,15% para 6,20%); Despesas Diversas (0,33% para 2,44%), com contribuição do item cigarros (0,40% para 5,88%); Vestuário (0,37% para 0,64%), com o item calçados saindo de recuo de 0,43% para alta de 0,36%; e Comunicação (0,18% para 0,29%), sob influência da tarifa de telefone residencial (-0,53% para 0,22%).

Os itens com as maiores influências de alta para o IPC na passagem de abril para maio foram Batata-inglesa (10,09% para 25,59%), Cigarros (0,40% para 5,88%), Vasodilatador para pressão arterial (2,76% para 6,50%), Mamão papaya (13,74% para 22,52%) e Plano e seguro de saúde (apesar do leve recuo de 1,04% para 1,03%).

Construção. O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) ficou em 0,19% em maio, mostrando desaceleração ante a alta de 0,41% em abril. O INCC-M acumula altas de 2,25% no ano e de 6,77% em 12 meses.

O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,04%, ante 0,29% no mês anterior. Já o indicador que representa o custo da Mão de Obra registrou taxa de 0,32%, ante 0,52% em abril. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.