Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Inflação eleva preço da cenoura em 178% em um ano; veja ranking

O período de 12 meses terminado em abril foi marcado pela alta de preços de alimentos, diesel, etanol e gasolina, além do gás de cozinha

Lucas Agrela, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2022 | 14h01

A campeã de inflação foi a cenoura, com 178% de alta nos últimos 12 meses terminados em abril. O tomate (102%) e a abobrinha (102%) compõem o pódio, respectivamente, em segundo e terceiro lugar. Entre as frutas, o melão teve a maior alta (82,4%), enquanto o limão teve a maior queda (-12,5%). Os dados são do novo relatório do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado nesta quarta-feira, 11. 

A alimentação em domicílio teve alta de 16,12% no ano, enquanto a alimentação fora de casa subiu 6,63% nos últimos 12 meses.

Entre os combustíveis veiculares na categoria transportes do relatório do IPCA, as maiores altas foram do óleo diesel (53,58%), do GNV (45,18%), do etanol (42,11%), e da gasolina (31,22%). Na mesma categoria, o transporte por aplicativo teve a maior alta, chegando a 67,18%. No concorrente táxi, a inflação no período foi de 11,48%.

O gás encanado e botijão de gás também registraram altas expressivas nos últimos 12 meses, chegando a 35,21% e 32,34%, respectivamente.

Veja, a seguir, a lista das categorias que tiveram o maior impacto da inflação no último ano.

- Combustíveis e energia: 23,42%

- Transportes: 19,7%

- Artigos de residência: 15,34%

- Vestuário: 14,73% 

- Alimentos em geral: 13,47%

- Habitação: 13,44%

- Educação: 6,82%

- Despesas pessoais: 6,71%

- Saúde e cuidados pessoais: 5,12%

- Comunicação: 2,87%

Alimentos

A inflação dos alimentos foi mais forte para a categoria de aves e ovos (19,66%), seguida pelas bebidas (20,23%), frutas (17,49%), panificados (13,83%) e enlatados (11,21%). Sal e condimentos tiveram inflação de 10,58% no ano, enquanto carnes subiram 8,06% e os, pescados, 4,47%,

Os 10 que mais subiram

Veja, a seguir, os itens que tiveram os maiores impactos da inflação nos últimos 12 meses terminados em abril de 2022.

- Cenoura: 178,02%

- Tomate: 103,26%

- Abobrinha: 102,99%

- Melão: 82,46%

- Morango: 70,39%

- Café moído: 67,53%

- Transporte por aplicativo: 67,18%

- Batata-inglesa: 63,4%

- Repolho: 54,72%

- Alface: 45,04%

Os 10 que mais caíram

Veja, abaixo, os itens que tiveram as maiores retrações da inflação nos últimos 12 meses terminados em abril de 2022.

- Limão: -12,54%

- Arroz: -11,53%

- Manga: -7,7%

- Feijão preto: -6,99%

- Carne de porco: -5,95%

- Banana maçã: -5,53%

- Coentro: -3,7%

- Abacaxi: -3,57%

- Pedras (construção): -3,13%

- Plano de saúde: -3,07%

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.