Inflação em SP cai pela segunda vez consecutiva

Pelo segundo mês consecutivo, o custo de vida no município de São Paulo registrou taxa negativa de 0,17%, segundo calculou o Dieese. O resultado de julho surpreendeu a coordenadora do ICV-Dieese, Cornélia Nogueira Porto, que esperava uma alta de 0,40% para o período.De acordo com ela, a diferença deve ser atribuída, principalmente, à tarifa de energia elétrica, que registrou queda de 9,42%, também influenciada pela diminuição do encargo de capacidade emergencial conhecido como seguro apagão.Só a conta de luz contribuiu com uma redução de 0,39 ponto porcentual no índice. Desta forma, o índice subiria 0,22% se não fosse a redução da tarifa de energia."Foi uma surpresa esta queda de energia", comentou, Cornélia, salientando que a Alimentação também continua em deflação. Este grupo teve baixa de 0,68% em julho, com destaques para os segmentos in-naturas e semieleborados (-1,17%) e indústria alimentícia (-0,62%).Também ficaram negativos os grupos Transportes (-0,07%) e Habitação (-0,40%). Este conjunto de preços somente não apresentou uma taxa menor porque houve reajuste dos preços da tarifa de telefonia fixa (7,23%).

Agencia Estado,

04 de agosto de 2005 | 12h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.