Inflação em SP medida pela FGV cai de 0,64% para 0,10%

O Índice de Preços ao Consumidor apurado para a cidade de São Paulo (IPC-SP) registrou alta de 0,10% em fevereiro, segundo divulgou nesta terça-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A variação do mês passado ficou 0,54 ponto porcentual abaixo da taxa de janeiro, de 0,64%. De acordo com a FGV, a queda do índice já era prevista. "Os eventos que mais fortemente pressionaram os preços em janeiro se mostraram de caráter temporário e apresentaram importante reversão de tendência já em fevereiro", explica o comunicado da Fundação. Entre os destaques destas variações estão os reajustes sazonais de algumas hortaliças e legumes e de cursos formais. O tomate, por exemplo, que em janeiro havia levado a uma inflação de 1,09% para o grupo Alimentação, agora contribui para o índice com deflação de 0,20%. As matrículas em escolas, por sua vez, levaram o grupo Educação, Leitura e Recreação a uma alta de 3,03%. Em fevereiro, esse segmento perdeu força e sua taxa desacelerou em 2,44 pontos porcentuais, para uma inflação de 0,59% no período. Contribuíram ainda para a baixa taxa registrada pelo IPC-SP a deflação de 0,61% no grupo Vestuário - acima da queda de 0,45% observada em janeiro - e uma variação negativa de 0,25% no grupo Transportes versus uma elevação de 0,10% nos preços em janeiro. O grupo Despesas Diversas foi o que mais influenciou na inflação do período, com alta de 1,62% nos preços (apesar de ter apresentado uma redução de 0,48 ponto porcentual em relação aos 2,10% de inflação registrados no mês anterior) em especial devido a aumentos de cigarros (2,28%) e de mensalidades de TV por assinatura (2,90%).

Agencia Estado,

02 Março 2004 | 12h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.