Inflação em SP, medida pelo IPC-Fipe, fecha abril em 0,01%

A inflação do município de São Paulo, medida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, foi de 0,01% em abril. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) foi maior do que o apurado na terceira prévia do mês (-0,06%), mas inferior ao registrado em março, quando ficou em 0,14%.O IPC ficou dentro da margem prevista pelos analistas ouvidos pela Agência Estado, que apostavam numa variação entre -0,10% e 0,05%. A maior alta do período foi Saúde, que subiu 1,26%, acima do aumento de 1,06% registrado na pesquisa divulgada na semana passada, e muito acima da variação de 0,46% do mês anterior. O item Vestuário teve elevação de 1,01%, acima do apurado na pesquisa passada (0,94%) e muito superior à queda de 0,22% registrada em março.O grupo Despesas Pessoais registrou aumento de 0,26% no período pesquisado, superior à baixa de 0,03% da terceira prévia e muito acima da deflação de 0,17% do mês retrasado. Educação teve alta de 0,13%, ligeiramente acima do aumento de 0,11% da semana passada. Em março, a variação foi de 0,01%. Alimentação caiu 0,64%, abaixo deflação de 1,02% da pesquisa divulgada na semana passada. O grupo teve queda de 0,46% no fechamento de março. Habitação caiu 0,05% em abril, mas na terceira quadrissemana do mês subiu 0,04%. No terceiro mês do ano, o grupo registrou aumento de 0,14%. Transportes teve desaceleração de 0,04% no mês passado, muito abaixo do aumento de 0,26% no período anterior e da alta de 1,29% do fechamento de abril. Veja as variações dos itens que compõem o IPC:Habitação: -0,05% Alimentação: -0,64% Transportes: -0,04% Despesas Pessoais: +0,26% Saúde: +1,26% Vestuário: +1,01% Educação: +0,13% Índice Geral: +0,01%

Agencia Estado,

04 de maio de 2006 | 07h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.