Inflação em SP registra leve alta de 0,05% em agosto

A taxa média de inflação com base no Índice de Preços ao Consumidor para a cidade de São Paulo (IPC-SP), apurado pela Fundação Getúlio Vargas, fechou o mês de agosto praticamente estável, com uma ligeira alta de 0,05%. Segundo a economista da FGV, Alexandra Godoi, a taxa representa uma desaceleração de 0,30 ponto porcentual comparativamente a alta de 0,35% apurada em julho. A queda no ritmo de alta da inflação refletiu, basicamente, a redução das pressões exercidas sobre o índice dos reajustes das tarifas de energia elétrica e telefonia fixa. Como o IPC-SP obedece o critério de competência e considera o impacto na inflação quando o aumento é autorizado, as influências das tarifas em agosto foram residuais. A energia elétrica registrou uma alta de 2,97% e a telefonia residencial um aumento de 0,76%. Na contramão das tarifas o IPC-SP apurou queda de 0,54% no grupo alimentação, deflação de 1,09% no grupo vestuário e redução de 0,12% no item transportes. Os destaques de queda no grupo alimentação ficaram por conta da batata (18,41%), tomate (15,99), feijão carioquinha (9,97), pão francês (1,53%) e melão (20,28%). No grupo transportes a queda foi puxada pela redução de 0,48% no preço da gasolina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.