Inflação em SP sobe 0,55% em setembro

A inflação média na cidade de São Paulo em setembro para as famílias com renda mensal entre 10 e 40 salários mínimos foi de 0,55%, segundo o Índice de Custo de Vida da Classe Média (ICVM), calculado pela Ordem dos Economistas do Brasil. Em agosto, o índice tinha mostrado uma redução média de 0,15%. Com o resultado de setembro, o ICVM passou a acumular no ano uma alta de 2,12% e em 12 meses, variação de 4,40%.A maior alta nominal entre os grupos que compõem o índice foi a de 2,40% do grupo Transportes e resultou de um aumento de 6,16% no preço da gasolina e de 5,91% no preço do litro do álcool combustível. O grupo Saúde fechou em 1,17%. A alta deste grupo foi provocada pelos reajustes de 2,30% dos planos de saúde, 1,29% dos serviços médicos e 0,84% dos remédios e produtos farmacêuticos.O grupo Vestuário teve alta de 0,52%, refletindo as altas de 0,96% nos preços dos calçados, de 0,65% das roupas femininas e 0,58% nas roupas infantis. O grupo Despesas Pessoais apresentou alta de 0,32%. No grupo Alimentação, com alta de 0,23%, os principais aumentos ficaram por conta das aves (9,47%), do café (6,20%) e do açúcar (4,32%). Na ponta de queda aparecem o feijão (-8,63%), batata (-8,50%), ovos (-4,95%) e óleo de soja (-4,35%).O grupo Habitação mostrou uma pequena alta de 0,08%. Para os técnicos da Ordem dos Economistas, o resultado é conseqüência da alta de 1,81% na tarifa de água e esgoto, dos artigos de limpeza (1,92%) e do mobiliário (1,17%). O grupo Educação subiu 0,04%, pressionado pelo reajuste de 0,34% nos preços dos livros didáticos e do material escolar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.