Inflação em SP sobe na primeira prévia de outubro

O Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP teve alta de 0,81%, porcentual superior ao registrado no fechamento de setembro, quando o IPC foi de 0,76%. A maior alta do período foi, mais uma vez, Alimentação (+1,18%) que, apesar disso, caiu em relação ao ecerramento do mês passado (+1,42%). Habitação (+0,72% ante +0,87% em setembro) e Vestuário (+0,23% ante +0,43%) também seguiram a mesma tendência. A segunda maior variação do período foi Transportes, que subiu 1,04%, uma alta substancial comparada ao fechamento de setembro, quando o porcentual ficou em 0,24%. Despesas Pessoais e Saúde também registraram variações maiores do que os dados divulgados na semana passada. O grupo Educação manteve-se praticamente estável, com queda de 0,08% ante variação também negativa de 0,09% em setembro. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,72%; Alimentação: +1,18%; Transportes: +1,04%; Despesas Pessoais: +0,91%; Saúde: +0,27%; Vestuário: +0,23%; Educação: -0,08%; Índice Geral: +0,81%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.