Inflação em SP tem primeiro recuo depois de 3 meses

A inflação divulgada hoje pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) interrompeu uma seqüência de 12 quadrissemanas consecutivas de alta nos preços ao consumidor da cidade de São Paulo. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe fechou a primeira parcial de julho em 0,83%, mostrando uma desaceleração de 0,09 ponto porcentual na comparação com a alta de 0,92% apurara no fechamento de junho.Esta é a primeira desaceleração da inflação paulista depois de 12 quadrissemanas, ou três meses seguidos de alta da inflação na capital paulista. Desde a primeira prévia de abril, quando o IPC fechou em 0,06% que os preços vinham numa trajetória crescente até chegar à taxa de 0,92% no encerramento de junho.A interrupção na trajetória de alta da inflação paulistana, segundo o economista e sócio da Fides Asset Management, Elson Teles, está associada, principalmente, à saída da pressão da passagem de ônibus sobre a inflação. "Só o ônibus respondeu por 0,07 ponto porcentual da desaceleração de 0,09 ponto da inflação de junho para a primeira medição de julho", diz o economista.Impacto na inflaçãoNo mês passado a tarifa de ônibus na capital entrou no IPC-Fipe com uma alta estatística de 1,66%. Esta alta está relacionada ao retorno da passagem de ônibus ao seu preço normal. No feriado de 1º de maio, a Prefeitura de São Paulo concedeu um desconto de 41,17% na tarifa do transporte coletivo, de R$ 1,70 para R$ 1,00. Esta medida fez com que o item exercesse uma pressão de baixa na inflação no decorrer de todo o mês de maio. Em junho, com a volta da passagem ao seu preço normal, o efeito foi contrário, atingindo seu pico no encerramento do mês.PrevisãoO coordenador adjunto do IPC da Fipe, Juarez Rizzieri, reduziu sua projeção para a inflação na capital paulista em julho de 0,6% a 0,7% para 0,5%. De acordo com ele, os preços dos produtos e serviços comercializáveis em São Paulo deverão passar por um período de recuo generalizado nos diferentes grupos analisados pela fundação. "Esta desaceleração já está sendo observada no momento e devemos seguir com a trajetória de queda gradual", afirmou Rizzieri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.