Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Inflação foi maior para mais pobres em agosto, aponta Dieese

Enquanto o ICV registrou elevação de 0,40%, o indicador das famílias com renda média de R$ 377,49 foi de 0,61%

Célia Froufe, da Agência Estado,

05 de setembro de 2007 | 14h33

A inflação medida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) na cidade de São Paulo, em agosto, revelou que o aumento de preços no mês passado foi mais sentido pelos habitantes mais pobres do município. De acordo com o levantamento, enquanto o Índice de Custo de Vida (ICV) registrou elevação de 0,40% em agosto, o indicador das famílias com renda média de R$ 377,49 foi de 0,61%.No mesmo período, a inflação das famílias com ganho intermediário (R$ 934,17) foi de 0,52%, enquanto a das com renda média de R$ 2.792,90, de 0,29%. "Em agosto, o aumento nos preços foi generalizado em todos os estratos de renda, sendo bem menor no estrato 3 (com maior poder aquisitivo)", avaliaram os técnicos da instituição.Em relação a julho, segundo o Dieese, os indicadores de inflação registraram alta generalizada, com diferenças maiores para as famílias com menor rendimento. "Os aumentos ocorridos nos alimentos e as quedas de preços no transporte individual impactaram as famílias de forma distinta, no mês de agosto", comentaram os técnicos.De acordo com eles, isso ocorre porque o peso dos alimentos no bolso do consumidor de baixa renda representa 34,8% de seus gastos. Para as famílias de maior poder aquisitivo, estas mesmas despesas representam 22,0%, um percentual 12,8 pp inferior. Em termos acumulados, o ICV geral registra elevação de 2,72% de janeiro a agosto e de 4,41% em 12 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.