Inflação forçará alta de juros em 2015, diz Maílson

O ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega afirmou nesta quinta-feira, 29, que a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 11%, deve se manter inalterada até o fim do ano. No ano que vem, contudo, o Comitê de Política Monetária (Copom) terá de retomar o ciclo de alta porque preços reprimidos pelo governo neste ano deverão gerar pressão inflacionária em 2015, projetou durante o 13º Seminário - Perspectivas para o Agribusiness 2014 e 2015, promovido pela BM&FBovespa, em São Paulo.

JOSÉ ROBERTO GOMES, SUZANA INHESTA E GABRIELA VIEIRA, Agencia Estado

29 de maio de 2014 | 18h56

Maílson comentou ainda que o desempenho da seleção brasileira na Copa do Mundo, que se inicia no mês que vem, não deve influenciar a campanha da presidente Dilma Rousseff pela reeleição. Ele lembrou que em 2010, mesmo com o insucesso do Brasil na Copa da África do Sul, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu fazer sua sucessora.

Tudo o que sabemos sobre:
JUROSMAÍLSON DA NÓBREGA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.