Inflação mantém tendência de alta em SP

A inflação no município de São Paulo, medida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, registrou nova alta em janeiro. O Índice de Preços do Consumidor (IPC) foi de 2,19% no fechamento mês, ante 1,95% na terceira prévia de janeiro e 1,83% em dezembro. O início do ano letivo fez com que o grupo Educação subisse 7,87% no período, variação ainda maior do que a apurada na semana passada (+5,63%). Em dezembro, o grupo havia apresentado alta de 0,18%. Transportes mantém-se a segunda maior variação, mas a alta de 4,06% da terceira quadrissemana do mês deu um novo salto, encerrando o período com avanço de 6,16%. No final de 2002, o grupo apresentava variação de 0,72%. Despesas Pessoais registrou a terceira maior alta do período (+2,21%), mas o porcentual foi menor do que o da pesquisa divulgada na semana passada (+3,01%), que por sua fez foi um pouco inferior ao fechamento de dezembro (+3,05%). Vestuário continua ser o único grupo a registrar variação negativa (-0,55%), mas a queda foi um pouco menor em comparação à terceira prévia (-0,62%). Habitação registrou a mesma alta do período passado: +0,65%. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,65%; Alimentação: +1,88%; Transportes: +6,16%; Despesas Pessoais: +2,21%; Saúde: +0,68%; Vestuário: -0,55%; Educação: +7,87%; Índice Geral: +2,19%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.