Inflação medida pelo IGP-10 fica em 0,35% em novembro

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) de novembro registrou alta de 0,35%, ante aumento de 0,48% em outubro. A informação foi divulgada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado anunciado hoje ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que esperavam um resultado entre 0,21% a 0,65%, e abaixo da média das expectativas (0,44%). A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-10 de novembro. O Índice de Preços por Atacado-10 (IPA-10), que representa 60% do total do IGP-10, subiu 0,33% ante alta de 0,57% em outubro. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor-10 (IPC-10), que tem participação de 30% no IGP-10, teve alta de 0,43% ante elevação de 0,33% apurada em outubro. Já o Índice Nacional de Custo da Construção-10 (INCC-10), que representa 10% do IGP-10, teve aumento de 0,28% em novembro, taxa idêntica à apurada em outubro. Até novembro, o IGP-10 acumula elevações de 1,41% no ano e de 2,19% em 12 meses. O período de coleta de preços do IGP-10 de novembro foi do dia 11 de outubro a 10 de novembro. Produtos agrícolas Os preços dos produtos agrícolas no atacado subiram 0,88% no âmbito do IGP-10 de novembro. Em outubro, os preços dos produtos agrícolas no atacado registraram deflação de 2,08%. Segundo a FGV, os preços dos produtos industriais no atacado tiveram elevação de 0,16% ante aumento de 1,42% em outubro. Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais apresentaram aumento de 0,10% ante alta de 0,52% apurada em outubro. Por sua vez, os preços dos bens intermediários subiram 0,26% ante elevação de 1,69% apurada em outubro. Por fim, os preços das matérias-primas brutas tiveram aumento de 0,79% ante taxa negativa de 1,62% apurada em outubro.

Agencia Estado,

18 Novembro 2005 | 08h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.