Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Inflação medida pelo IGP-DI sobe 0,26% em junho

Maior elevação é registrada nos preços no varejo, que apresentam alta de 0,42%

Alessandra Saraiva, da Agência Estado

11 de julho de 2007 | 09h37

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de junho subiu 0,26%, ante aumento de 0,16% em maio, segundo informou nesta quarta-feira, 11, a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro, que esperavam um resultado entre 0,18% a 0,34%, e abaixo da mediana das expectativas (0,28%).O IGP-DI de junho, que teve alta de 0,26%, foi a maior taxa registrada nesse tipo de indicador desde janeiro deste ano, quando o indicador apresentou elevação 0,43%.A instituição informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI de junho. O Índice de Preços por Atacado - Disponibilidade Interna (IPA-DI), que representa 60% do total do IGP-DI, teve aumento de 0,09% em junho, ante deflação de 0,04% em maio. O indicador registrou a maior taxa desde março deste ano, quando o IPA-DI subiu 0,11%. Os preços dos produtos agrícolas no atacado tiveram alta de 0,67% em junho, ante deflação de 1,94% em maio, no âmbito do IGP-DI.Até junho, o IPA-DI acumula altas de 0,70% no ano e de 3,76% em 12 meses, segundo informou a FGV. De acordo com a FGV, os preços dos produtos agrícolas no atacado acumulam queda de 1,79% no ano, mas registram elevação de 8,07% em 12 meses até junho. Ao comentar o cenário da inflação no mês de junho, a FGV também revelou a análise de preços por produtos. Em junho, as altas de preço mais expressivas, no atacado, foram registradas em leite in natura (6,89%); soja em grão (2,44%); e ovos (13,26%). Já as mais expressivas quedas de preço, no atacado em junho, foram registradas nos preços de cana-de-açúcar (-9,99%); álcool etílico hidratado (-9,70%) e laranja (-16,17%).VarejoPor sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor - Disponibilidade Interna (IPC-DI), que tem participação de 30% no total do IGP-DI, apresentou elevação de 0,42% em junho, ante alta de 0,25% em maio. Essa foi a maior taxa nesse tipo de indicador também desde março deste ano, quando o IPC-DI subiu 0,48%.Ao comentar sobre o cenário da inflação no varejo no mês passado, a FGV esclareceu que a aceleração na taxa do IPC-DI, de maio para junho (de 0,25% para 0,42%) foi influenciada pelo fim da deflação de preços em alimentação (de -0,01% para 1,02%), de maio para junho.Das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, três registraram aumento expressivo de preços, no mesmo período. Além de alimentação, é o caso de vestuário (de 0,36% para 0,53%) e educação, leitura e recreação (de -0,12% para 0,41%). Os outros grupos apresentaram desaceleração ou queda mais intensa de preços. É o caso de habitação (de 0,49% para 0,29%); saúde e cuidados pessoais (de 0,71% para 0,26%); transportes (de -0,04% para -0,37%); e despesas diversas (de 0,49% para 0,34%).Na análise feita pela FGV sobre os produtos do varejo, as altas de preço mais expressivas em junho foram registradas leite tipo longa vida (14,70%); mamão da amazônia - papaya (25,64%); e manga (14,81%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em álcool combustível (-7,07%); laranja pêra (-10,74%); e batata-inglesa (-5,20%).No varejo, o IPC-DI acumulou aumentos de 2,51% no ano e de 3,98% em 12 meses até junho, segundo informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV).Construção CivilJá o Índice Nacional do Custo da Construção - Disponibilidade Interna (INCC-DI), que representa 10% do IGP-DI, subiu 0,92% em junho, ante alta de 1,15% em maio. No mês, o indicador assumiu trajetória contrária a dos outros indicadores, e apresentou a menor taxa desde abril deste ano quando o INCC-DI subiu 0,46%.Ao detalhar sobre a inflação no setor da construção em junho, a FGV informou que a desaceleração na taxa do INCC-DI, de maio para junho (de 1,15% para 0,92%), foi influenciada por perda de força na elevação de preços no segmento de mão-de-obra (de 1,81% para 1,57%), no mesmo período.A FGV também revelou que, na análise por produtos, as altas de preço mais expressivas, na construção civil em junho, foram registradas ajudante especializado (1,56%); servente (1,48%); e pedreiro (1,67%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em metais para instalações hidráulicas (-0,41%); produtos de fibrocimento (-1,02%) e condutores elétricos - fio/cabo (-1,43%). Na construção civil, o INCC-DI acumula altas de 3,51% no ano e de 5,20% em 12 meses até junho, segundo informou a FGV.Até junho, o IGP-DI acumula elevações de 1,44% no ano e de 3,96% em 12 meses. O período de coleta de preços para o IGP-DI de junho foi do dia 1º a 30 do mês passado.

Tudo o que sabemos sobre:
IGP-DI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.