Inflação medida pelo IPCA-15 cai para 0,35% em março

A inflação medida pelo IPCA-15 caiu para 0,35% em março, ante 0,74% em fevereiro, segundo divulgou hoje o IBGE. Segundo o documento de divulgação, a desaceleração das mensalidades escolares, salários dos empregados domésticos e alimentos reduziram à metade a taxa na passagem de fevereiro para março. O IBGE explica que, como os valores das mensalidades escolares normalmente são revisados no início do ano pelos estabelecimentos de ensino particular, o item cursos, que chegou a registrar alta de 6,34% em fevereiro e foi responsável por cerca de um terço da taxa de 0,74% do IPCA-15 daquele mês, teve sua variação reduzida para 0,49%.No caso dos empregados domésticos, a taxa de variação passou de 1,12% para 0,13%, reflexo do final do impacto do recebimento do 13º salário. No caso dos alimentos, a desaceleração no ritmo de crescimento dos preços (de 0,53% em fevereiro para 0,17% em março) foi motivada, principalmente, pela queda observada nos seguintes itens: frango (-2,39%), carnes (-1,06%), óleo de soja (-1,61%). Entre os poucos produtos que subiram, destacaram-se os ovos (11,76%). Ainda com preços mais baixos, passagens aéreas (-4,69%), gás de cozinha (-1,11%), álcool (-0,59%) e gasolina (-0,32%) também influenciaram o resultado de março. Entre as pressões de alta, o principal impacto foi exercido pelas passagens dos ônibus urbanos (1,83% de variação e 0,09 ponto percentual de contribuição), influenciadas pelo reajuste ocorrido em São Paulo.O IPCA-E do primeiro trimestre, que é formado pelo IPCA-15 acumulado, ficou em 1,78%. O resultado se refere a janeiro (0,68%), fevereiro (0,74%) e março (0,35%). Nos últimos doze meses (de abril de 2004 até março de 2005), a taxa ficou em 7,31%. Os preços para cálculo do mês foram coletados no período de 15 de fevereiro a 14 de março e comparados com os preços vigentes de 13 de janeiro a 14 de fevereiro. IPCA-15 de março é o menor desde outubro de 2004O IPCA-15 de março de 0,35% é a menor taxa de inflação registrada por este indicador desde outubro do ano passado, quando a média de reajustes dos preços ao consumidor chegou a 0,32%.A taxa ficou abaixo até mesmo do piso das expectativas dos analistas do mercado, um total de 18, consultados pela Agência Estado, que previam uma inflação entre 0,41% e 0,60%, com média de 0,47%. A queda do IPCA-15 será elemento, segundo a economista do BES Investimento, Sandra Utsumi, para aliviar o tom do relatório de inflação que o Banco Central divulgará no final deste mês, provavelmente entre os dias 29 e 30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.