Inflação medida pelo IPCA-15 mostra queda em janeiro

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo - (IPCA-15) teve variação de 0,68% em janeiro, resultado inferior ao de dezembro de 2004 (0,84%). O grupo alimentação e bebidas, com variação de 0,19% em dezembro, subiu para 0,97% em janeiro, pressionando a taxa no primeiro mês do ano. Os principais reajustes nos alimentícios ocorreram no frango (2,80%), carnes (2,59%), ovos (2,39%), pescados (2,00%), leite pasteurizado (1,13%) e alimentação fora do domicílio (1,17%). Outras pressões de alta vieram da energia elétrica (0,57%), automóveis novos (0,79%) e educação (0,41%). A energia elétrica, cuja variação passou de -0,33% em dezembro para os atuais 0,57%, teve aumento em quatro regiões metropolitanas: no Rio de Janeiro (2,42%), em Porto Alegre (0,41%), em Recife (0,13%) e Brasília (0,20%). No caso dos automóveis (de 0,53% para 0,79%), a alta foi influenciada pelo realinhamento de preços aplicados no mês de janeiro e, no grupo educação (de 0,22% para 0,41%), o índice foi pressionado pelos preços dos artigos escolares. Já a gasolina, segundo o documento de divulgação do IBGE, apesar do aumento de 2,76% em janeiro, mostrou desaceleração em relação a dezembro (3,45%). O mesmo ocorreu com as tarifas de ônibus urbanos (de 1,74% para 0,45%) e com os cigarros (de 2,71% para 1,05%). O álcool teve queda de preços (-0,63%), enquanto que em dezembro chegou a atingir alta de 8,64%. Os preços para cálculo foram coletados no período de 11 de dezembro de 2004 a 12 de janeiro de 2005 e comparados com os preços vigentes de 12 de novembro a 10 de dezembro de 2004. Nos últimos 12 meses até janeiro, o IPCA-15 acumulou taxa de 7,54%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.