finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Inflação menor ajudará a melhorar expectativas, diz BC

Colegiado reafirmou sua visão de que a inflação acumulada em 12 meses alcançou o pico no último trimestre, e agora começa a se deslocar na direção da trajetória de metas

Fabio Graner e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

27 de outubro de 2011 | 11h19

BRASÍLIA - O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) avalia, na ata de sua última reunião, que a reversão da tendência de alta na inflação e o processo de reavaliação sobre o nível de atividade econômica no Brasil vão ajudar a melhorar as expectativas dos agentes econômicos para o indicador.

"O Copom reafirma sua visão de que a inflação acumulada em 12 meses alcançou o pico no último trimestre, bem como de que a mesma começa a recuar no trimestre corrente e, assim, a se deslocar na direção da trajetória de metas. O Comitê avalia que, por si só, essa inversão de tendência contribuirá para melhorar as expectativas dos agentes econômicos, em especial dos formadores de preços, sobre a dinâmica da inflação nos próximos trimestres".

O comitê acrescenta que essa "melhora no sentimento será potencializada pelo processo, ora em curso, de reavaliação do ritmo da atividade, doméstica e externa, neste e nos próximos semestres", completa.

A ata divulgada hoje pelo Copom é referente à reunião realizada na semana passada, quando o BC decidiu reduzir a taxa básica de juros (Selic) em mais 0,50 ponto porcentual, para 11,50% ao ano.

Cenários

O Copom passou a tratar como cenário central o que em agosto era tratado como cenário alternativo. Por meio desse cenário, o Copom reiterou sua hipótese de que a atual deterioração do quadro internacional tem impacto sobre o Brasil equivalente a um quarto do observado na crise de 2008/2009. E avalia que a taxa de inflação se posiciona em torno da meta em 2012.

"Esse cenário foi construído e analisado sob a perspectiva de modelos que identificam de modo mais abrangente os mecanismos de transmissão dos desenvolvimentos externos para a economia brasileira - entre outros, os canais do comércio, do preço de importações e da volatilidade externa", explica o BC.

"No cenário central, entre outras repercussões, ocorre moderação da atividade econômica doméstica, os preços das commodities nos mercados internacionais e a taxa de câmbio mostram certa estabilidade. Mesmo com um ajuste moderado no nível da taxa básica de juros, a taxa de inflação no horizonte relevante se posiciona em torno da meta em 2012, em patamar inferior ao que seria observado caso não fosse considerado o supracitado efeito da crise internacional", completa a autoridade monetária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.