Inflação menor reflete o resultado das manifestações de rua

Um dos fatores que puxou a queda foi o item transportes, resultado do cancelamento dos reajustes de tarifas de ônibus em várias cidades

19 de julho de 2013 | 10h03

SÃO PAULO - A queda da inflação em julho reflete o resultado vitorioso dos protestos nas ruas das cidades brasileiras, que obrigaram as prefeituras a cancelar os reajustes das tarifas de ônibus.

A desaceleração do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), divulgada nesta sexta-feira, 19, foi puxada pela queda nos itens de Transporte (-0,55%) e Alimentos (-0,18%), segundo o IBGE.

A revogação do aumento das tarifas de transporte em diversas cidades do País, apões os protestos nas ruas, contribuiu para a desaceleração da inflação.

O item transporte teve queda de 0,55% em julho. Em junho, o índice havia ficado em +0,10%. Nos alimentos, também houve queda no índice de preços. Em julho, o item registrou em -0,18%, ante +0,27% em junho.

No grupo Alimentação e Bebidas, registraram deflação itens como tomate (-16,78%), feijão carioca (-3,86%), óleo de soja (-3,13%).

Os itens que registraram impacto para baixo no IPCA-15 foram o etanol (-3,17%) e gasolina (-0,69%). Também registraram queda os itens Artigos de Residência (-0,06% em julho, ante +0,68% em junho) e Vestuário (-0,17% em julho, contra +0,72% em junho).

Também contribuíram para a desaceleração o item de Saúde e Cuidados Pessoais, que registrou alta de 0,20% em julho, ante 0,72% em junho, a principal desaceleração do IPCA-15. Já o item Educação teve alta de 0,11%, ante 0,17% em junho.

Tudo o que sabemos sobre:
IPCAinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.