Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Inflação na China volta a subir e preocupações aumentam

Alimentos em alta puxaram a inflação naChina de volta ao maior patamar em aproximadamente 11 anos emoutubro, reforçando as expectativas de novos aumentos da taxade juros. O índice de preços ao consumidor saltou 6,5 por cento nomês passado, em linha com o pico registrado em agosto. Emsetembro, o índice subiu 6,2 por cento, informou a agêncianacional de estatísticas nesta terça-feira. Sem os alimentos, a inflação em outubro subiu 1,1 por centoem relação ao mesmo período do ano passado. Mas os preços dosalimentos avançaram 17,6 por cento. Economistas consultados pela Reuters esperavam um alta de6,4 por cento para o índice de preços ao consumidor chinês emoutubro. A inflação registrada foi a maior desde dezembro de1996, quando o índice saltou 7 por cento.

LANGI CHIANG E SIMON RABINOVITCH, REUTERS

13 de novembro de 2007 | 07h42

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINAINFLACAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.