finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Inflação na zona do euro tem forte alta, confiança piora

A inflação na zona do euro subiu maisque o esperado em novembro, para seu maior patamar em seis anose meio. As expectativas inflacionárias também avançaram,enquanto que o indicador de confiança geral piorou, ressaltandoo dilema que o Banco Central Europeu (BCE) enfrenta em relaçãoà definição sobre sua política de juros. De acordo com a agência de estatísticas da União Européia,a Eurostat, o índice de preços ao consumidor nos 13 países queusam o euro como moeda subiu 3,0 por cento na comparação anual,ante alta de 2,6 por cento em outubro. Essa é a maior taxa registrada desde maio de 2001, quando ainflação atingiu o recorde de 3,1 por cento. Economistasesperavam que a índice de preços ao consumidor da região, nestetipo de comparação, ficasse em 2,9 por cento em novembro. O BCE, que terá uma reunião para definir a taxa de juro napróxima quinta-feira, quer manter a inflação anual próxima de 2por cento no médio prazo, mas já disse que espera um prolongadoperíodo de avanço dos preços acima de sua meta. A Eurostat também confirmou que a economia da zona do euroteve uma forte recuperação no terceiro trimestre, quando seexpandiu 0,7 por cento, na comparação com o trimestre anterior,e 2,7 por cento frente ao mesmo período do ano passado. O dadoda comparação anual ficou acima do inicialmente estimado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.