Inflação no varejo de SP acumula no ano alta de 8,66%

O Índice de Preços no Varejo (IPV), calculado pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio), registrou alta de 0,88% em outubro ante 0,64% de setembro. O segmento varejista que apontou a maior elevação foi o de autopeças, com variação de 8,54% no mês. Já o setor de tecidos foi o único a apresentar retração, com queda de 3,33%. No acumulado do ano, até outubro, o IPV registra alta de 8,66%.As principais pressões no IPV de outubro decorrem dos grupos de comércio automotivo (1,95%) e materiais de construção (2,78%). De acordo com os assessores econômicos da Fecomercio, ambos sofrem pressões de custo na cadeia produtiva por conta de altas nos preços de produtos como petróleo, aço e plástico. Já os bens duráveis, que subiram 1,47% em outubro, ante a queda de 1,18% em setembro, podem voltar a patamares menores após o período de reposição de estoque para as vendas de Natal, na avaliação dos assessores. A Federação ressalta que essa alta também pode ser resultado do aumento dos custos de produção, reflexo dos preços do aço e plástico. Em 2004, o IPV foi fortemente influenciado pelos preços dos produtos alimentícios no grupo de Não-Duráveis. "Em outubro, como era previsto, as pressões sazonais perderam força." O índice deste grupo indicou elevação de 0,32% e os alimentos fecharam de forma estável, com 0,07% de alta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.