Inflação no varejo em SP sobe para 1,49% e é a 2a maior do ano

O Índice de Preços no Varejo (IPV) calculado pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) registrou alta de 1,49% na primeira quadrisemana de junho (período de quatro semanas encerrado na primeira semana de junho). Na semana anterior (fechamento de maio), o IPV já havia evoluído para 1,19%. O resultado apresentado hoje pela Federação é o segundo maior do ano, perdendo apenas para a variação de 1,67% registrada no fechamento de janeiro.Segundo a análise do assessor econômico da Fecomercio, Oiram Corrêa, o item que mais pesou no grupo Semiduráveis (3,45%) foi vestuário (5,60%). O peso do grupo semiduráveis para o IPV é de 27,5%, dos quais vestuário contribui com 17,60%.O avanço dos preços de vestuário já tinha sido identificado na pesquisa anterior da Fecomercio, com alta de 5,73%. Na ocasião, como agora, o avanço dos preços foi atribuído pela assessoria econômica da Federação à chegada antecipada do frio.O grupo Materiais de Construção, que no início do ano foi o grande vilão da inflação, subiu 2,15%, seguido pelo grupo de Comércio Automotivo (2,14%), que registrou tanto alta de autopeças (8,06%) quanto de veículos novos (1,13%). O grupo que menos contribuiu com a inflação foi o Não-Duráveis (1,27%), composto apenas por altas: produtos alimentícios (1,12%), produtos de higiene (1,17%), produtos de limpeza doméstica (0,73%) e produtos farmacêuticos (2,88%).

Agencia Estado,

07 de junho de 2004 | 16h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.