Inflação nos EUA deve ter alívio apenas temporário

O inflação ao consumidor ficou estável em fevereiro nos Estados Unidos, em relação a janeiro, parcialmente por conta do recuo nos preços de energia no mês passado. Mas o alívio no índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) deve ser temporário, já que o recorde de preço atingido recentemente pelos contratos de petróleo e de gasolina não foi refletido nos dados de fevereiro e deve ser filtrado pela economia este mês e no próximo. Na comparação a fevereiro de 2007, a inflação nos EUA foi de 4% no mês passado.Segundo o Departamento de Trabalho dos EUA, os preços de energia caíram 0,5% em fevereiro ante janeiro, os preços de gasolina recuaram 0,2% e os preços de eletricidade cederam 0,3%, na mesma base de comparação.Os preços em outros setores também mostraram queda, o que dá mais espaço para o Federal Reserve (Fed, banco central americano) responder aos problemas no mercado de crédito e no imobiliário, sem se preocupar com a inflação. Os preços de vestuário caíram 0,3% em fevereiro ante janeiro, a maior queda desde agosto. Os preços de transporte recuaram 0,7% no mês passado, por conta do recuo nas tarifas aéreas e nos preços de veículos.Já os preços de alimentos subiram 0,4% em fevereiro ante janeiro e 4,6% frente ao mesmo mês do ano passado. Os custos de moradia, que representam 40% do CPI, subiram 0,2% pelo segundo mês consecutivo. O aluguel aumentou em 0,2%. Os preços de cuidados médicos subiram 0,1% em fevereiro ante janeiro. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.