Gary Cameron/Reuters
Gary Cameron/Reuters

Inflação nos EUA sobe 0,9% em outubro e chega a 6,2% em 12 meses, maior nível desde 1990

Índice de preços ao consumidor subiu mais que o esperado puxado pela alta nos combustíveis e nos alimentos

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2021 | 11h46

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos subiu 0,9% em outubro ante setembro, quando ficou em 0,4%, segundo dados com ajustes sazonais publicados pelo Departamento do Trabalho nesta quarta-feira, 10. O resultado ficou acima da mediana das previsões de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, de alta de 0,6%. 

O resultado foi puxado pela alta do custo do combustível e dos alimentos, o que levou à maior inflação acumulada em 12 meses - 6,2% - desde novembro de 1990, em sinal de que o indicador pode permanecer elevado até o próximo ano em meio a problemas globais nas cadeias de oferta. 

O Federal Reserve (Fed, o banco central americano) trabalha com uma meta de inflação anual de 2%.

O Departamento do Trabalho também informou que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 4 mil, para 267 mil em dado ajustado sazonalmente, na semana encerrada em 6 de novembro.

Esse foi o patamar mais baixo desde meados de março de 2020, quando a economia quase parou em meio a fechamentos obrigatórios de empresas nos EUA com o objetivo de desacelerar a primeira onda de infecções por covid-19. As solicitações, que registram queda há seis semanas consecutivas, estão bem perto de seu nível pré-pandemia. / COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.