Inflação oficial do governo é de 0,33% em setembro

A queda no preço dos alimentos (-0,19%) foi o principal responsável pela desaceleração do índice de inflação usado pelo governo para as metas. A IPCA subiu 0,33% em setembro, contra 0,69% em agosto. Com o resultado de setembro, o IPCA acumula no ano alta de 5,49% e encosta na meta de 5,5% definida pelo Banco Central. A meta tem um intervalo de tolerância de 2,5 pontos percentuais. Nos últimos 12 meses, a alta do IPCA, calculado pelo IBGE, é de 6,7%.Em agosto os alimento haviam registrado alta de 0,85% e recuaram em setembro, com destaque para cebola (-17,43%), tomate (-15,9%) e hortaliças (-9,24%). Ainda segundo o IBGE, a cana-de-açúcar teve menor influência sobre os preços dos derivados em setembro. A variação do açúcar refinado, por exemplo, caiu de 14,67% em agosto para 9,38% em setembro.A gasolina registrou queda de 0,7% sob influência da desaceleração dos preços do álcool (alta de 1,21% em setembro contra 11,49% em agosto). Por outro lado, o maior impacto no IPCA do mês (0,10 ponto percentual) foi dado pelo telefone fixo (3,13%).O INPC, que mede inflação para a camada de renda mais baixa, registrou alta de 0,17% em setembro, contra 0,50% em agosto. No ano, o INPC acumula alta de 4,59% e em 12 meses, de 5,95%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.