Inflação para baixa renda recua, mas alta no ano é de 2,84%

Índice registrou alta de 0,69% em maio contra 0,73% em abril puxado por alimentos e gastos com saúde

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

05 de junho de 2009 | 08h42

O Índice de Preços ao Consumidor, referente às despesas de consumo das famílias com renda entre 1 e 2,5 salários mínimos (de R$ 415,00 a R$ 1.037,50), registrou alta de 0,69% em maio, ante avanço de 0,73% em abril, informou nesta sexta-feira, 5, a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resultado, até maio, o indicador acumula alta de 2,84% em 2009 e de 5,55% nos últimos 12 meses.

 

Veja também:

linkEntenda os principais índices 

Segundo a FGV, a desaceleração do IPC-C1 na passagem de abril para maio deve-se à menor taxa de inflação, ou início de deflação, dos grupos Alimentação (de 0,85% para -0,08%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,40% para -0,02%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 1,53% para 1,17%).

Já os grupos que tiveram aumento do ritmo de inflação no mês passado em relação ao mês anterior foram: Habitação (de 0,27% para 1,27%), Vestuário (de 0,39% para 0,78%) e Despesas Diversas (de 4,67% para 7,15%). O grupo de Transportes ficou estável em maio, ante variação de -0,01% em abril.

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãobaixa rendaFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.