Inflação pelo IGP-10 vai a 2% e tem maior alta em 5 anos

Indicador volta a acelerar em julho com novo aumento nos custos dos produtos agrícolas, aponta FGV

Reuters e Agência Estado,

16 de julho de 2008 | 08h13

A inflação pelo Índice Geral de Preços-10 contrariou a previsão do mercado e voltou a acelerar em julho, em razão de um novo aumento nos custos dos produtos agrícolas, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira, 16. O indicador teve alta de 2% neste mês, ante avanço de 1,96% em junho. Trata-se da maior taxa registrada nesse tipo de indicador desde fevereiro de 2003, quando o indicador apresentou elevação de 2,42%.   Veja também: De olho na inflação, preço por preço Entenda os principais índices de inflação  Entenda a crise dos alimentos   O resultado ficou acima das estimativas das previsões dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que esperavam uma taxa entre 1,64% e 1,95%, e foi superior à da mediana das expectativas (1,85%). No ano, o índice acumula alta de 8,64% e nos últimos 12 meses, de 14,72%. Entre os componentes, o Índice de Preços por Atacado (IPA) avançou 2,54%, depois de subir 2,21% no mês passado. O IPA agrícola saltou 4,66% em julho, após a alta de 2,62% em junho. Já o IPA industrial teve ligeira desaceleração do avanço, para 1,71% neste mês, contra 2,06% no passado. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,65%, abaixo da variação de 0,93% em junho. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) também perdeu força, com elevação de 1,50%, depois da alta de 2,66% no mês anterior.   Os preços dos produtos agrícolas no atacado registram elevações acumuladas de 12,66% no ano e de 39,69% em 12 meses, até julho. Já os preços dos produtos industriais no atacado acumulam avanços de 9,41% no ano e de 12,08% em 12 meses.   Na análise dos preços por produtos, as altas mais expressivas no atacado, no IGP-10 de julho, foram registradas em soja em grão (12,88%); bovinos (11,15%); e aço semi-acabado ao carbono (14,51%). Já as mais expressivas quedas de preço no atacado foram verificadas em arroz em casca ( -4,31%); algodão em caroço (-7,24%); e telefones celulares (-4,66%). Até julho, o IPA-10 acumula aumentos de 10,32% no ano e de 18,80% em 12 meses, segundo informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O IPA-10 representa 60% do total do IGP-10, que foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 de junho e 10 de julho.   Texto ampliado às 10h50

Mais conteúdo sobre:
InflaçãoIGP-10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.