Inflação recua em São Paulo, puxada por educação

A inflação abriu fevereiro em desaceleração na cidade de São Paulo. A primeira quadrissemana do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), divulgada nesta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP (Fipe), ficou em 0,52%, contra alta de 0,66% no fechamento de janeiro. O recuo era esperado pelos analistas consultados pela Agência Estado, que previam porcentuais de 0,50% a 0,62% para a primeira prévia do mês.O grupo educação, grande responsável pela inflação em janeiro, recuou no começo desse mês, mas continuou puxando o índice. Os preços, que costumam ser mais altos nesse começo de ano devido à compra de material escolar, caíram de 3,23% para 2,59%.Dos outros seis grupos que compõem o IPC-Fipe, quatro desaceleraram na comparação da primeira quadrissemana de fevereiro com o índice fechado de janeiro. São eles: alimentação (de 1,29% para 1,09%), transportes (de 0,77% para 0,60%), despesas pessoais (de 0,68% para 0,49%) e habitação (de 0,10% para 0,05%).Outros dois grupos apresentaram alta de preços no período em relação à primeira quadrissemana de janeiro. Saúde avançou de 0,39% para 0,58% na primeira coleta de fevereiro. Já vestuário ampliou a alta de 0,34% para 0,72%.O índice mede a variação dos preços de produtos e serviços, no município de São Paulo, para famílias que ganham entre 1 e 20 salários mínimos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.