Justin Tallis/ Reuters
Justin Tallis/ Reuters

Com inflação alta, ministro britânico diz que próximos meses serão 'difíceis'

Governo irá providenciar 22 bilhões de libras em apoios diretos para lidar com preços altos

Matheus Andrade, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2022 | 10h49

O ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, alertou na quarta-feira, 18, que os próximos meses "serão difíceis", depois que foi revelado que a inflação no país atingiu a maior alta em 40 anos para o mês de abril, chegando a 9%. Em discurso para a Confederação da Indústria Britânica, o governante indicou que ainda assim é possível agir, e que o governo irá providenciar 22 bilhões de libras em apoios diretos.

Além disso, Sunak anunciou medidas como o corte de impostos para uma série de setores. "Atacar a inflação não é apenas uma necessidade econômica. É uma necessidade social e moral", afirmou o ministro. O conservador disse que o país precisa de investidores e empreendedores neste momento, e que o plano governamental é reduzir os impostos para ajudar estes setores a investirem, praticarem mais comércio e inovarem mais.


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.