Inflação semanal tem alta de 0,30%

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve alta de 0,30% na semana encerrada em 28 de julho, contra os 0,02% registrados na apuração anterior. Segundo a FGV, o resultado é "bem elevado" e reflete o impacto de preços administrados, como telefonia fixa e eletricidade residencial.Para a instituição, o resultado do índice foi causado basicamente pela variação de preços do grupo habitação, que passou de 1,15% para 1,55%. "Se este grupo fosse excluído do cálculo deste IPC-S, teríamos uma deflação de 0,26%", diz o texto com a análise de economistas da fundação. Por regiões, a FGV registrou alta de preços em todas as 12 capitais pesquisadas. A taxa máxima, de 1,16%, foi registrada em Curitiba. A taxa mínima, de 0,04%, foi apurada em Fortaleza. Dos sete grupos que compõem o índice, seis apresentaram aceleração de preços.É o caso de alimentação (que passou de queda de 0,81% para deflação de 0,52%); habitação (que passou de 1,15% para 1,55%); saúde e cuidados pessoais (que passou de 0,26% para 0,39%); educação, leitura e recreação (que foi de 0,37% para 0,45%); transportes (que foi de deflação de 1,42% para queda de 1,07%) e despesas diversas (que foi de 0,50% para 0,98%). Apenas um grupo apresentou desaceleração de preços: vestuário, que passou de queda de 0,04% para deflação de 0,28%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.