Informalidade reduz arrecadação em R$ 50 bi, diz MTE

Os cerca de 17,1 milhões de trabalhadores informais do País, revelados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad/IBGE) de junho de 2013, correspondem a um montante anual de R$ 50 bilhões que deixam de ser arrecadados pela Previdência Social e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O número é uma estimativa do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que lança nesta quinta-feira, 22, o Plano Nacional de Combate à Informalidade.

NIVALDO SOUZA, Agencia Estado

22 de maio de 2014 | 14h22

Segundo o ministério, a proposta do plano é mudar o quadro informal e garantir o acesso desses trabalhadores ao regime de benefícios previdenciários, seguro contra acidentes de trabalho e aposentadoria, além de direitos decorrentes do contrato formal, como FGTS, férias, repouso remunerado, entre outros.

O plano será apresentado esta tarde pelo ministro do Trabalho, Manoel Dias, em Brasília.

Tudo o que sabemos sobre:
trabalhoinformalidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.