Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Infra-estrutura frustra cobertura jornalística do G-20

Imprensa só pode fazer o acompanhamento do encontro de líderes de hotel próximo ao do evento

Célia Froufe, da Agência Estado,

08 de novembro de 2008 | 11h48

Jornalistas da imprensa brasileira e internacional consideraram um vexame a infra-estrutura para o acompanhamento do discurso de abertura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no encontro internacional dos representantes do G-20, realizado na capital paulista. O evento ocorre no Hotel Hilton, mas a imprensa só faz o acompanhamento do encontro no Hotel Hyatt, localizado no mesmo bairro. A exceção, durante o momento do discurso de Lula, foi dada aos fotógrafos e cinegrafistas, que puderam presenciar in loco o pronunciamento do presidente. Os demais profissionais da área deveriam fazer o acompanhamento por meio de duas televisões que fariam a retransmissão. Veja também:Saiba os assuntos que serão discutidos no G-20 De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise Dicionário da crise  Ocorre que minutos depois das 10h30, horário previsto para início do discurso de Lula, os jornalistas que participavam do evento passaram a ser avisados pelos colegas que estavam nas redações que o presidente já havia iniciado seu pronunciamento. Foi justamente esta brecha que "salvou" a cobertura dos jornalistas, já que canais de televisão transmitiram as palavras de Lula ao vivo. Os profissionais ficaram sem acesso e, por meio de equipamentos próprios, buscaram a transmissão ao vivo via internet. Em princípio, os jornalistas estrangeiros nem haviam percebido o que havia ocorrido. Pouco antes das 11 horas, a assessoria do Palácio do Planalto informou à imprensa que realmente havia ocorrido um problema de transmissão e apresentou algumas sugestões para contornar a situação. A informação era a de que em cinco minutos após esta manifestação da assessoria, o áudio do discurso estaria disponível no site do Planalto e que, meia hora depois, estaria disponível a íntegra do discurso em português. O discurso em inglês seria disponibilizado mais tarde, mas sem uma previsão de horário.  Entre os jornalistas, a decepção era grande. Os estrangeiros chegaram a comentar como é que o Brasil pretende alcançar uma posição de destaque no mundo se ocorrem problemas como o de hoje, de simples resolução. Vexame era a palavra mais ouvida na sala de imprensa. "Se era para fazer a cobertura desta forma, era melhor estar em casa, onde a internet, pelo menos não cai", comentou um jornalista. Às 11h01 era possível ver da sacada do Hyatt a saída do presidente Lula de helicóptero do Hilton.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraCrise nos EUAG-20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.