Infraero admite parcelar dívida da Varig

A Infraero admite a possibilidade de parcelar a dívida de R$ 118 milhões da Varig, a exemplo do que foi feito com a Vasp nesta semana. Na próxima quarta-feira, o presidente da Varig, Carlos Luiz Martins, deverá entregar um plano de renegociação ao presidente da estatal, Carlos Wilson Campos. A informação é de uma fonte que acompanha de perto as conversações.Essa negociação começou a ser costurada nos bastidores da inauguração da feira da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), que teve início na quinta-feira, no Rio. Antes da abertura do encontro, os presidentes da Infraero e da Varig reuniram-se a portas fechadas. A Varig não confirma que o plano de negociação será entregue na quarta-feira. Informou apenas que na próxima semana as conversas com a Infraero terão continuidade."A negociação está dentro do projeto do governo de encontrar uma solução para o setor aéreo", avalia a fonte próxima às negociações, ressaltando que é provável que o débito seja dividido em três parcelas, mesmo prazo concedido à Vasp.Embraer - A Embraer poderia ajudar a Varig se houvesse financiamento, segundo o vice-presidente de Relações Externas da fabricante de aviões, Henrique Rzezinski. Para ele, uma das dificuldades para o setor é a receitas de passagens em reais e o pagamento de leasing (espécie de aluguel) pelas aeronaves é em dólar. Esse descasamento poderia ser superado pela compra de aviões da Embraer em reais."Mas não temos mecanismos de financiamento doméstico", disse Rzezinski. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financia a venda de aviões da Embraer a companhias estrangeiras como forma de apoio às exportações. Nestes casos, as empresas financiadas são as compradoras dos jatos. O executivo considera que os aviões da Embraer de 90 e 130 passageiros, entre outros, seriam aproproiados para a Varig, já que há rotas em que aeronaves maiores acabam voando com muita capacidade ociosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.