Infraero ameaça cassar licença da Transbrasil

O presidente da Infraero, Orlando Boni, reuniu-se nesta sexta-feira com os presidentes das principais companhias aéreas do País e avisou que o Departamento de Aeronáutica Civil (DAC) dará um ultimato para que a Transbrasil, em processo de falência, apresente um plano de reestruturação consistente de retomada das operações. Se isso não ocorrer, o DAC ameaça cassar a licença da companhia aérea, que está prestes a vencer, o que permitiria à Infraero tentar derrubar na Justiça federal a liminar que a impede de retomar as áreas de hangar e terminal de carga, que está causando um prejuízo de R$ 241 mil por mês à estatal.Além de não usá-los, a Transbrasil não está pagando pela locação desde outubro do ano passado. Apenas algumas áreas de check-in foram devolvidas. ?É revoltante que um bem público esteja sendo inutilizado, embargado por decisão da Justiça?, afirmou o diretor de Operações da Infraero, João Santos da Silva. A dívida da Transbrasil com a Infraero chega a R$ 130 milhões, mas os controladores resistem em ceder os espaços de concessão, alegando que deverão investir na reestruturação.O presidente da Infraero informou que a Varig se adequou ao momento de dificuldades que vive racionalizando a malha de vôos. ?Eles reduziram em 10% seu número de naves, mas houve um melhor aproveitamento?, afirmou Boni. A companhia tem uma dívida de R$ 253 milhões com a Infraero, mas ainda não apresentou um plano de reestruturação ao Comitê de Credores, que inclui ainda a Petrobras e o Banco do Brasil. ?Espero que isso se resolva em no máximo um mês ou dois?, disse Boni. Segundo ele, ?a Varig está pagando seus débitos com dificuldades, mas está pagando?.Sobre a situação de outras empresas, o presidente da Infaero disse que a Vasp ?está indo bem?. ?O passado foi renegociado e o presente está indo bem.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.