Infraero projeta crescimento de 17% no movimento de cargas

A crise que afeta o transporte aéreo de passageiros não chegou ao setor de cargas. Enquanto o volume de passageiros caiu 6% nos dois primeiros meses do ano, em relação ao mesmo período de 2002, as exportações por via área aumentaram 24%. Desestimuladas pela alta do dólar, as importações caíram 2% no período. O diretor comercial da Infraero, Fernando Almeida, projeta para 2003 um crescimento de 17% no volume de cargas, caso seja mantido o bom desempenho das exportações durante o ano.No ano passado, a estatal que administra os aeroportos do País teve faturamento de R$ 403 milhões com o transporte de carga nos 30 terminais espalhados pelo País. O valor representou 30% da receita da empresa. Deste total, 10% derivaram do setor de cargas do Aeroporto de Viracopos, em Campinas. "Acreditamos que a participação da carga no faturamento global possa chegar a 40% no futuro", diz Almeida. Segundo ele, os produtos exportados têm maior valor agregado do que no passado, com destaque para eletroeletrônicos, eletromecânicos e linha branca (geladeiras e fogões) da Zona Franca de Manaus e da Região Sudeste. Segundo Almeida, a região Nordeste também está exportando. Os aeroportos de Natal, Recife e Fortaleza recebem embarques de pescado, frutas e flores, enviados para os EUA e a Europa.Nos primeiros dois meses de 2003, a Infraero registrou um aumento de 24,5% no volume de mercadorias exportadas nos terminais de logística dos aeroportos, em comparação com igual período de 2002. Em janeiro e fevereiro deste ano foram exportadas 38.400 toneladas. O volume de importados nesses dois primeiros meses chegou a 18.232 toneladas, 2% inferior ao do mesmo período em 2001. De acordo com Almeida, o terminal de cargas do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, passou por obras que foram encerradas recentemente, ao custo de R$ 22 milhões. Estão previstos investimentos de R$ 200 milhões em Viracopos até 2006, incluindo a ampliação da pista para aeronaves, ampliação dos terminais de carga, de passageiros, do armazém de importação, etc.Viracopos receberá uma segunda pista para aviões até 2005. Será necessária a desapropriação de 4,7 mil famílias da região. A Infraero informou que vai reexaminar o cadastramento imobiliário e jurídico dos moradores, para publicar o edital nos próximos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.