Sérgio Neves/AE
Sérgio Neves/AE

Infraero tem orçamento elevado em 9%

A previsão é de que R$ 801,1 milhões do Orçamento da União sejam repassados no próximo ano à estatal

Idiana Tomazelli e André Borges, O Estado de S.Paulo

09 Setembro 2016 | 08h07

A estatal Infraero teve o seu orçamento para concessões ampliado em 9% para bancar, em 2017, as cinco concessões de aeroportos nas quais tem participação acionária. A previsão é de que R$ 801,1 milhões do Orçamento da União sejam repassados no próximo ano à estatal para aportes de capital nas concessionárias dos aeroportos de Brasília, Campinas, Guarulhos, Confins e Galeão. A participação da Infraero é de 49%. Neste ano, a estatal contou com R$ 737 milhões para pagar sua conta nas concessões.

A Infraero ficou com a maior fatia dos recursos orçamentários da União destinados às chamadas "estatais não dependentes", aquelas que também possuem fontes próprias de recursos para pagamento de despesas com pessoal ou de custeio em geral. Do orçamento total de R$ 2,1 bilhões reservado para essas estatais, R$ 1,48 bilhão será destinado à estatal dos aeroportos. 

A empresa não soube esclarecer se os recursos serão suficientes para fazer frente aos pagamentos das outorgas do ano que vem, porque ainda depende dos resultados financeiros que serão registrados em cada um dos aeroportos. 

"Esses recursos serão aplicados na continuidade e priorização de empreendimentos constantes da carteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e demais investimentos da Infraero, bem como no aporte de capital nas Sociedades de Propósito Específico (SPEs) das concessionárias dos aeroportos concedidos e relativos à participação da Infraero nas referidas sociedades", disse a empresa em nota. Outros R$ 634,3 milhões estão previstos para investimentos em obras e serviços de engenharia nos aeroportos. Para a aquisição de equipamentos e modernização das instalações aeroportuárias, estão previstos R$ 45,6 milhões. 

Mais conteúdo sobre:
Infraero Brasília Campinas União

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.