Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

ING sofre prejuízo de 1,5 bi de euros, o 1º de sua história

Grupo holandês sofre com a queda das ações, que atingiram o menor valor em 15 anos, e baixas contábeis

REUTERS

12 de novembro de 2008 | 09h01

O grupo financeiro holandês ING divulgou nesta quarta-feira que sofreu seu primeiro prejuízo trimestral, pressionado por perdas com ações e bônus e baixas contábeis. O ING Group, fundado em 1991, já tinha projetado em outubro prejuízo, antes de aceitar uma injeção de 10 bilhões de euros (12,7 bilhões de dólares) do governo holandês.   Veja também: Desemprego britânico é recorde e indústria européia desacelera Banco Mundial vai ampliar ajuda financeira a emergentes EUA lançam programa para evitar execução de hipotecas De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos  O prejuízo líquido da instituição somou 478 milhões de euros, depois de baixas contábeis que totalizaram 1,5 bilhão de euros. Um ano antes, o grupo teve lucro de 2,3 bilhões de euros. "O enfraquecimento das condições econômicas colocarão pressão sobre os resultados em 2009", informou o presidente-executivo do ING, Michel Tilmant, em comunicado. O ING era uma das instituições financeiras mais saudáveis com perdas relativamente administráveis geradas pela crise de crédito. Apesar disso, o banco resolveu aceitar a injeção de capital do governo depois que o valor de suas ações caiu para o menor nível em 15 anos, pressionadas por preocupações dos investidores sobre o impacto da crise de crédito.

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSINGRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.