coluna

Fernanda Camargo: O insustentável custo de investir desconhecendo fatores ambientais

Imagem Coluna do Broadcast
Colunista
Coluna do Broadcast
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Inglês Actis estuda vender fatia da rede de idiomas CNA

Escola quer 100 novas unidades em 2019 e oferecerá crédito com juro subsidiado a franqueado

Coluna Broadcast, O Estado de S. Paulo

05 de março de 2019 | 05h00

Após seis anos com investimento na rede de idiomas CNA, o fundo inglês Actis tem a intenção de vender sua participação minoritária, que adquiriu em 2012 por R$ 135 milhões. O Actis ainda não teria recebido uma oferta, mas está atento. Como pano de fundo para a decisão de vender o negócio, está o reaquecimento do mercado educacional no Brasil e a retomada da expansão da franquia, algo que não acontecia desde 2013. Além disso, o fundo estaria de olho no atual momento econômico do País, que é encarado como uma oportunidade para negociar os ativos. Os ingleses já captaram US$ 15 bilhões no mundo e têm ativos na África, Ásia e América Latina. No Brasil, são sócios da Universidade Cruzeiro do Sul e investiram ainda no começo da década da XP Investimentos.

Incentivo. Este ano, a CNA espera a abertura de 100 novas franquias e, para isso, vai subsidiar o juro dos empréstimos tomados pelos interessados em abrir uma escola. O grupo quer entrar em municípios de menor porte e também oferecer o modelo de franquia de baixo custo. Procurada, a escola de idiomas CNA disse que não vai comentar o tema neste momento. Já o fundo Actis não respondeu até o fechamento desta Coluna. 

Cresceu menos. Os dois primeiros meses do ano tiveram crescimento menor de chegadas de voos internacionais no Brasil. O aumento foi de 3% no primeiro bimestre deste ano, enquanto houve expansão de 8% em janeiro e fevereiro de 2018. Ainda assim, foram 345 voos e aproximadamente 71 mil assentos a mais, conforme levantamento realizado pela Embratur, a partir de dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Welcome. Mesmo com essa desaceleração, alguns dos principais aeroportos viram dobrar as chegadas. Caso de Fortaleza, onde o numero de desembarques saltou 112%, para 242 chegadas. Brasília recebeu 93 novos voos, em alta de 36%. Galeão, no Rio de Janeiro, registrou alta de 5,3%, com 123 chegadas adicionais. Guarulhos, em São Paulo, maior porta de entrada de estrangeiros no País, teve alta de 3%, ou 178 novos voos para o terminal paulista.

Multiplicar por seis. Atenta à expansão do mercado de cobrança, a Winover Contact Center pretende aumentar o faturamento anual dos atuais R$ 50 milhões para R$ 300 milhões em cinco anos. Para isso, vai entrar em outras áreas como operações de atendimento ao consumidor, mesas de crédito e processos financeiros, para brigar com as líderes, como a Atento. Na sua carteira de clientes estão Claro, Oi e Crefisa. Em 2018, a Winover superou R$ 3 bilhões em carteiras de cobrança. 

100 sócios. O escritório Souto Correa Advogados ampliou para 100 o número de sócios, com a abertura de cinco novas áreas de atuação: agronegócio, contratos, imobiliário, mercado de capitais e organização patrimonial e sucessória passam agora a ter advogados especializados. 

 

COM LUCIANA COLLET

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.