Imagem Coluna do Broadcast
Colunista
Coluna do Broadcast
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Inglês Actis estuda vender fatia da rede de idiomas CNA

Escola quer 100 novas unidades em 2019 e oferecerá crédito com juro subsidiado a franqueado

Coluna Broadcast, O Estado de S. Paulo

05 de março de 2019 | 05h00

Após seis anos com investimento na rede de idiomas CNA, o fundo inglês Actis tem a intenção de vender sua participação minoritária, que adquiriu em 2012 por R$ 135 milhões. O Actis ainda não teria recebido uma oferta, mas está atento. Como pano de fundo para a decisão de vender o negócio, está o reaquecimento do mercado educacional no Brasil e a retomada da expansão da franquia, algo que não acontecia desde 2013. Além disso, o fundo estaria de olho no atual momento econômico do País, que é encarado como uma oportunidade para negociar os ativos. Os ingleses já captaram US$ 15 bilhões no mundo e têm ativos na África, Ásia e América Latina. No Brasil, são sócios da Universidade Cruzeiro do Sul e investiram ainda no começo da década da XP Investimentos.

Incentivo. Este ano, a CNA espera a abertura de 100 novas franquias e, para isso, vai subsidiar o juro dos empréstimos tomados pelos interessados em abrir uma escola. O grupo quer entrar em municípios de menor porte e também oferecer o modelo de franquia de baixo custo. Procurada, a escola de idiomas CNA disse que não vai comentar o tema neste momento. Já o fundo Actis não respondeu até o fechamento desta Coluna. 

Cresceu menos. Os dois primeiros meses do ano tiveram crescimento menor de chegadas de voos internacionais no Brasil. O aumento foi de 3% no primeiro bimestre deste ano, enquanto houve expansão de 8% em janeiro e fevereiro de 2018. Ainda assim, foram 345 voos e aproximadamente 71 mil assentos a mais, conforme levantamento realizado pela Embratur, a partir de dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Welcome. Mesmo com essa desaceleração, alguns dos principais aeroportos viram dobrar as chegadas. Caso de Fortaleza, onde o numero de desembarques saltou 112%, para 242 chegadas. Brasília recebeu 93 novos voos, em alta de 36%. Galeão, no Rio de Janeiro, registrou alta de 5,3%, com 123 chegadas adicionais. Guarulhos, em São Paulo, maior porta de entrada de estrangeiros no País, teve alta de 3%, ou 178 novos voos para o terminal paulista.

Multiplicar por seis. Atenta à expansão do mercado de cobrança, a Winover Contact Center pretende aumentar o faturamento anual dos atuais R$ 50 milhões para R$ 300 milhões em cinco anos. Para isso, vai entrar em outras áreas como operações de atendimento ao consumidor, mesas de crédito e processos financeiros, para brigar com as líderes, como a Atento. Na sua carteira de clientes estão Claro, Oi e Crefisa. Em 2018, a Winover superou R$ 3 bilhões em carteiras de cobrança. 

100 sócios. O escritório Souto Correa Advogados ampliou para 100 o número de sócios, com a abertura de cinco novas áreas de atuação: agronegócio, contratos, imobiliário, mercado de capitais e organização patrimonial e sucessória passam agora a ter advogados especializados. 

 

COM LUCIANA COLLET

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.