Início de operação de Simplício pode ser adiado

O Ministério Público Federal (MPF) quer que Furnas adie o início das operações da hidrelétrica de Simplício, no município de Sapucaia (RJ), que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Por meio de sua representação em Petrópolis, na região serrana do Estado do Rio, o MPF recomendou que a empresa segure o início das operações por pelo menos um ano. Furnas informou que vai tentar reverter a decisão.

Nicola Pamplona / RIO, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

A empresa tem de responder até segunda-feira os questionamentos do MPF, que tem a opção de iniciar processo judicial contra o projeto caso Furnas não siga a recomendação. Com investimento de R$ 2,2 bilhões, a usina terá potência de 334 megawatts (MW). O cronograma original prevê o início das operações no fim do ano. No dia 15 de outubro, Furnas pretende iniciar o enchimento do reservatório.

O MPF, porém, quer evitar essa etapa até que seja construído um sistema de esgoto em regiões que terão a vazão d''água reduzida após a conclusão da obra da usina, o que só ocorreria em dezembro de 2011. Furnas reconhece os atrasos nas obras de saneamento, mas diz que foram provocadas por demora nas negociações com prefeituras e desapropriações e que não são empecilho para o início das operações da usina. Segundo a empresa, o Ibama já foi comunicado do atraso e deve apresentar em breve parecer sobre o tema.

Além disso, uma segunda recomendação do MPF pede a elaboração de um plano de contingência para remediar possíveis problemas de qualidade de água no rio, uma vez que há um lixão a céu aberto na área que será alagada. Sobre esse ponto, a empresa diz que está construindo um aterro sanitário para onde deslocará os detritos hoje acumulados no lixão, recuperando o solo.

"Temos elementos suficientes para demonstrar que não haverá problemas", afirmou o gerente das obras, Francisco Donha. Segundo ele, a empresa vai apresentar na próxima segunda-feira respostas aos questionamentos do MPF e tem a expectativa de convencer os procuradores a reverter a decisão. Simplício vai alagar uma área de 15 quilômetros quadrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.