Inmetro vai aferir relógios de luz

O Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro) vai aferir 30 mil relógios de luz em todo o País. O objetivo é saber se os consumidores estão sendo lesados pelas distribuidoras de energia elétrica. Caso sejam comprovadas irregularidades, as concessionárias podem ser multadas em até 0,1% do faturamento anual, o que chegaria, em uma distribuidora de grande porte, a R$ 5 milhões. Os clientes que pagaram a mais pela eletricidade serão ressarcidos no mês seguinte à constatação da fraude.A fiscalização faz parte de contrato assinado, ontem, entre o Inmetro e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O diretor-geral da agência reguladora, José Mário Abdo, informou que serão gastos R$ 2,5 milhões para o levantamento dos medidores de energia residenciais das 64 distribuidoras. A vistoria ocorrerá em 300 municípios e obedecerá aos padrões da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)."Se ficar comprovado que o medidor registrou consumo de energia menor do que o gasto pelo cliente, a distribuidora não terá direito ao reembolso, porque cabe às concessionárias fazer a vistoria periódica dos equipamentos", assegurou Abdo.CampanhaDesde abril, o Centro de Atendimento da Aneel recebeu 7 mil reclamações de consumidores. O balanço da agência reguladora apontou 1.100 queixas contra erros na cobrança das faturas, 180 delas sobre problemas com os medidores. O País tem 46 milhões de unidades consumidoras, sendo que são 37 milhões de unidades residenciais. "Estamos antecipando-nos para evitar problemas futuros", explicou Abdo.No Estado de São Paulo, o Inmetro vai vistoriar as 13 distribuidoras. O critério de amostragem vai obedecer à proporção de consumidores de cada concessionária. Ou seja, para as empresas com mais de 35 mil consumidores residenciais, o Inmetro vai aferir 500 relógios. Em concessionárias com até 3.200 clientes residenciais, serão conferidos 125 medidores.O trabalho vai começar entre os clientes da Light e da Companhia de Eletricidade do Rio de Janeiro (Cerj), ambas no Rio.Segundo Abdo, a ação do Inmetro inicia-se pelo território fluminense por causa das condições logísticas do instituto. A expectativa é a de que a análise seja concluída em um ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.