Inocêncio e boatos sobre revistas azedam mercados

A boataria corre solta no mercado. Não faltam rumores sobre o conteúdo de duas importantes revistas semanais, que trariam escândalos envolvendo os candidatos à Presidência do PSDB e do PFL. Na coluna Persona no Estado, Cesar Giobbi disse: "Não seria mais plausível - fácil a gente sabe que não é - a governadora maranhense explicar o que fazia tanto dinheiro no escritório do marido?" perguntou o colunista. "Isso se der tempo. Porque, ao que parece, as edições de fim de semana vêm com mais chumbo grosso", concluiu.Além da boataria, foi mal recebida a declaração do líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira, de que o partido vai reavaliar a decisão de apoiar a aprovação da CPMF, embora tenha se comprometido pessoalmente pela aprovação da emenda constitucional já na próxima terça-feira. "O partido mudou", justificou Inocêncio. O mercado teme que a dissidência do PFL acabe por fragilizar tanto a candidatura de Roseana como a de Serra, o que poderia abrir espaço para a ascensão dos oposicionistas Lula e Garotinho. Instantes atrás, o Ibovespa inverteu a mão e passou a operar em queda de 0,75%. O dólar comercial ampliou a alta, cotado a R$ 2,377 (+0,38%).

Agencia Estado,

07 de março de 2002 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.