Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Inquietude para mudar a maneira de construir e morar

Tendências incluem apartamentos menores, com boa localização e infraestrutura, segundo CEO da Vitacon

Júlia Zillig, ESPECIAL PARA O ESTADO

25 de abril de 2019 | 06h00

A Vitacon é conhecida no mercado imobiliário por ter a inovação em seu DNA. Alexandre Frankel, CEO da empresa, contou que busca olhar para as necessidades das pessoas. “Nós temos o grande sonho de transformar o mundo por meio da moradia”, disse no painel Compartilhando Experiências, o último painel do Summit Imobiliário 2019, com a participação também de Elie Horn (Cyrela) e Wilson Amaral (Pacaembu).

Para o CEO da Vitacon, após ter sido afetado pela crise econômica, o mercado imobiliário sofreu uma grande transformação, o que deve se refletir na forma de consumir a produtos de habitação. Frankel disse que encara um edifício como um hardware, no qual é possível implementar vários tipos de tecnologia. “O prédio é uma arquitetura aberta e pode ser operado por aplicativos de startups.”

No portfólio de produtos da sua empresa, explicou, estão empreendimentos alinhados com as novas tendências do mercado, voltadas para quem procura qualidade de vida. São condomínios compostos por apartamentos menores, porém com infraestrutura completa e localização que prioriza a mobilidade. “Cada vez mais os consumidores querem morar perto do trabalho, se deslocar menos e evitar gastar tempo presos no trânsito”, enfatizou.

Essa visão com foco no futuro permeia o ambiente de negócios da empresa. Envolve desde a escolha de sua equipe até o desenvolvimento dos produtos que comercializa. “Procuro entrevistar todos que passam a fazer parte do nosso time. Busco pessoas inconformadas por natureza.”

Interação

Com espírito inquieto, Frankel contou que questiona diariamente o status quo. “Eu acredito que passou da porta da empresa é para inovar”, reforçou. “Não há uma reunião em que a gente não se pergunte por que o financiamento está sendo operado dessa forma, por que o mutuário tem de esperar uma eternidade para ter acesso ao contrato. Os questionamentos são diários e constantes, pois a minha intenção é fazer diferente.”

Prova do avanço do mercado imobiliário, na visão do CEO, é a formação de ecossistemas complexos de indústrias que aparentemente não se conversam. “Quando a gente poderia pensar numa incorporadora falar com uma multinacional de sabão em pó? Eles querem fornecer produtos para lavar as roupas de cama nos nossos empreendimentos para aluguel”, exemplificou.

Otimista quanto ao futuro do mercado brasileiro, o CEO da Vitacon destacou que a empresa colocou no mercado recentemente novos empreendimentos voltados para locação, com apartamentos entre 14 e 30 metros quadrados, com condomínio completo e taxa mensal de locação na casa dos R$ 800. “É o tipo de negócio que reforça a casa sendo utilizada como serviço on demand, de acordo com suas necessidades.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.