Inscrição no CPF poderá ser gratuita

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado acaba de aprovar um projeto de lei que proíbe a Receita Federal de cobrar a inscrição dos contribuintes no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), assim como nas alterações cadastrais, no cancelamento ou restabelecimento da inscrição e na emissão de segunda via do cartão do CPF. O projeto foi aprovado em caráter terminativo e, portanto, segue agora diretamente para a Câmara, sem passar pelo plenário do Senado, a não ser que nove senadores assinem um requerimento especial para que seja também apreciado pelo plenário do Senado. De autoria do senador Luiz Fontes (PSDB-CE), o projeto original previa a gratuidade apenas para a população de baixa renda. Mas o relator da matéria, senador Jefferson Peres (PDT-AM), estendeu a isenção a toda a população, diante da dificuldade da identificação dos carentes e por entender que o CPF "é um verdadeiro requisito para o exercício da cidadania e dos direitos políticos, sociais e econômicos dela decorrentes". O senador Roberto Requião (PMDB-PR) criticou a atual cobrança de R$ 4,50 pelo documento e considerou um absurdo o contribuinte pagar para ser cobrado pelo pagamento de impostos.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2000 | 13h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.