INSS: greve dos médicos peritos pode estar perto do fim

A greve de mais de dois meses dos médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pode estar perto do fim. Tanto o presidente do INSS, Taiti Inenami, quanto o presidente da Associação Nacional dos Médicos Peritos, Eduardo Almeida, deram declarações favoráveis ao fim do movimento, nesta terça-feira, ao final da reunião com o ministro da Previdência Social, Amir Lando. Nova rodada de negociações está marcada para as 18h desta quarta e a expectativa é que as partes cheguem finalmente a um acordo que possa ser aprovado em assembléia pelos grevistas na quinta-feira e, com isso, a paralisação seja interrompida.O principal ponto de discórdia entre os profissionais e o governo é com relação aos salários. Os médicos peritos querem aumento dosalário-base e também da remuneração de final de carreira tendo como referência o salário do auditor fiscal. O governo já chegou a um percentual de 82% do salário do auditor fiscal, mas os grevistas querem 90%. Eles já concordaram que a elevação se dê de forma escalonada, ao longo dos próximos três anos. O governo se comprometeu a implementar uma carreira específica, de 40h para os médicos peritos, e também a realização de um concurso público para a contratação de três mil novos profissionais da área. A greve dos médicos peritos vem trazendo problemas para os segurados e prejuízos à Previdência Social. Os segurados que precisam passar pelos médicos para dar entrada no auxílio-doença e outros benefícios acidentários não conseguem ser atendidos. Em contrapartida, o benefício para quem já está usufruindo vem sendo automaticamente prorrogado. A Previdência estima um prejuízo de mais de R$ 30 milhões por conta de benefícios que já poderiam estar suspensos, com o retorno de trabalhadores às suas funções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.