Instabilidade aumenta investimentos no setor

A instabilidade no mercado parece estar levando, mais uma vez, investidores para o segmento de imóveis. "Com o turbilhão pelo qual estamos passando, há mesmo uma tendência a direcionar investimentos para o setor", afirma o presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Romeu Chap Chap.O segmento de alto padrão é o que continua tendo destaque na preferência do investidor e "sustentando" a indústria imobiliária em São Paulo, segundo Chap Chap. "Ele ocupou o lugar que já foi dos flats, que em cinco ou seis anos tiveram cerca de 30 mil unidades comercializadas", diz. Mas desta vez, há uma diferença no volume de imóveis lançados. A oferta de alto padrão é limitada, da mesma forma que o consumidor com capital suficiente para investir em unidades com valores acima de R$ 500 mil.A tendência, segundo Chap Chap, é que durante o resto do ano o interesse por imóveis continue crescente, tendo em vista a proximidade das eleições e as incertezas políticas do País. Dessa forma, mantém-se a expectativa de crescimento de 10% no número de unidades lançadas em relação ao ano passado.O presidente do sindicato lembra que os investimentos no setor são feitos lentamente e não imediatamente na seqüência de cada oscilação do mercado. Portanto, as altas do dólar registradas na semana passada não significam necessariamente que haverá um aumento expressivo nas vendas do mês, mas podem influenciar o total comercializado no período seguinte.Além do investimento feito diretamente na compra de um imóvel, uma opção que vem crescendo no setor são os fundos imobiliários. Nesse caso, o investidor compra cotas de um empreendimento pronto ou em construção e tem rendimento proveniente da locação das unidades.PesquisaEm maio houve pequena recuperação do setor em relação a abril, como mostra a pesquisa mensal feita pelo Secovi-SP na capital. Na época do levantamento foram comercializadas 1.245 unidades contra as 1.170 do mês anterior, um aumento de 6,4%. No entanto, o total de vendas nos primeiros cinco meses do ano ainda é menor que no mesmo período de 2001. Este ano as vendas acumuladas somam 5.903 unidades, 13,3% a menos que no ano passado.De acordo com a pesquisa, os apartamentos de quatro dormitórios foram os que apresentaram melhor desempenho de vendas em maio, com índice de velocidade de vendas (IVV), calculado de acordo com a quantidade de imóveis comercializados sobre o total colocado à venda no mês, de 10,7%. No geral, o IVV apresentou recuperação, passando para 8,3%, contra 7,7% registrados em abril de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.