Instabilidade diminui no mercado financeiro

O mercado de ações no Brasil voltou a reagir com a recuperação da Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet. No início da tarde, enquanto a Nasdaq registrava alta de 3,93%, a Bolsa operava com valorização de 0,92%. Porém, o volume de negócios ainda é muito baixo. Durante a manhã, ficou em R$ 180 milhões.Segundo operadores, apesar do desempenho positivo das ações de tecnologia nos Estados Unidos, o mercado mantém uma posição de cautela e poderá desacelerar o ritmo ao longo da tarde, especialmente tendo em vista o feriado de amanhã, que deixará o mercado fechado num momento instável no exterior, diante da indefinição das eleições presidenciais nos Estados Unidos e da crise argentina. Além disso, amanhã o banco central norte-americano (FED) reúne-se para definir a taxa de juros do país. Com o objetivo de desaquecer a economia, o FED vem promovendo elevações na taxa de juros. Desde junho do ano passado, os juros já subiram de 4,75% ao ano para 6,5% ao ano. Porém, a expectativa dos analistas é que, no encontro de amanhã, o FED decida deixar a taxa de juros estável.Argentina ainda preocupaO mercado de juros e câmbio ficaram mais tranqüilos durante a manhã. A crise na Argentina - motivo do nervosismo nesses mercado na última semana - deu uma trégua. O problema da economia do país, ou seja, a sua capacidade de fechar as contas externas em 2001 ainda não foi resolvido, mas os analistas mantêm a expectativa de que um pacote de ajuda externa poderá ser aprovado, o que resolveria o problema da Argentina pelo menos no próximo ano. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 18,050% ao ano, frente a 18,200% ao ano ontem. O dólar comercial está cotado a R$ 1,9450 na ponta de venda dos negócios - queda de 0,36% em relação aos últimos negócios dessa segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.