Instabilidade internacional retrai mercado

O medo de guerra, de recessão nos EUA, de que os preços do petróleo disparem, do 11 de setembro e até do Japão, que está com a economia estagnada, continuam atormentando os investidores, como se viu pelo comportamento das bolsas mundiais. Os mercados brasileiros voltaram a reagir com pessimismo ao noticiário, com queda na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e alta nos juros e no dólar. Tanto interna quanto externamente, o quadro de maneira geral se mantém inalterado em relação aos últimos dias. Os medos que vêm de fora estão deixando os investidores muito na defensiva. Como esse sentimento é predominante, a tendência, dizem especialistas, é o mercado dar pouca importância ao noticiário mais positivo, priorizando os fatos negativos. A escalada dos preços do petróleo continuou esta manhã, agravada pela notícia de queda da queda dos estoques nos EUA na semana passada, que foi maior do que a prevista pelo mercado. O preço do barril de petróleo em Nova York subia 1,98% no início da tarde, cotado a US$ 28,83%. Há pouco, o Banco Central (BC) realizou um leilão de troca de títulos cambiais, sem muito sucesso. No total, houve 36% da rolagem prevista, de US$ 716 milhões. O resultado está confirmou o pessimismo do mercado e está reforçando a alta do dólar e do juro e ampliando um pouco a queda da Bolsa. De qualquer maneira, já pela manhã, o BC vendeu dólares para conter a alta e também realizou um leilão de linhas de crédito complementares à exportação.Para alguns experientes operadores de mercado, a demanda firme por dólares demonstrada pelos investidores nos últimos dias é decorrência de vencimentos que ocorrerão no decorrer do mês e que terão que ser honrados. Eles dizem que a oferta de venda continua fraca e que o principal fornecedor do mercado à vista continua sendo o BC, mesmo depois da melhora ocorrida no cenário brasileiro.A preocupação com uma ofensiva militar dos EUA ao Iraque está se sobrepondo ao quadro político, pelo menos até o momento. Alguns analistas dizem que mesmo que José Serra (PSDB/PMDB), o favorito dos mercados, venha a superar Ciro Gomes (Frente Trabalhista) nas pesquisas a reação positiva do mercado seria de curto prazo porque os problemas externos são muito maiores. Um especialista, no entanto, lembra que esse pessimismo pode ser revertido se os EUA partirem mesmo para o confronto direto com o Iraque. O diretor de uma instituição financeira destaca que todas as vezes em que os EUA se envolveram numa guerra, como a invasão ao Afeganistão e a invasão ao Iraque na Guerra do Golfo, os preços das ações caíram muito antes mas recuperaram-se durante o conflito.MercadosÀs 15h, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,1480; em alta de 0,90% em relação às últimas operações de ontem. Ao longo do dia, o valor mínimo negociado foi de R$ 3,1400 e o máximo, de R$ 3,1600. Com o resultado apurado agora, o dólar acumula uma alta de 4,58% no ano e queda de 0,54% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 20,480% ao ano, frente a 20,320% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 apresentam taxas de 23,570% ao ano, frente a 23,500% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 1,79% em 9817 pontos e volume de negócios de cerca de R$ 274 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 27,69% em 2002 e alta de 3,69% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 5 apresentaram alta. Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - apresenta queda de 1,15% (a 8328,2 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - cai 2,60% (a 1258,73 pontos). O euro opera em alta de 0,09%; sendo negociado a US$ 0,9925. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em queda de 1,02% (369,92 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.