Instituto vê possibilidade de recessão no segundo semestre

O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) vê a possibilidade de a economia brasileira entrar em recessão no segundo semestre deste ano. "Com a permanência dos juros em patamar elevado, que não sinaliza para uma retomada dos investimentos e do consumo de bens duráveis até meados deste ano, aliada à queda real da massa salarial, o desempenho do segundo trimestre deve apontar para a permanência desse quadro de desaceleração ou mesmo para um quadro já recessivo", alerta o instituto na Carta Iedi desta semana, publicada hoje. O documento mostra que o Iedi tem dúvidas se a inflação sob controle, os juros mais baixos e o câmbio mais competitivo, quando (e se) alcançados, serão capazes de reverter, no segundo semestre, o desempenho ruim da economia, com queda do PIB de 0,1% (dessazonalizado) no primeiro trimestre deste ano ante o trimestre exatamente anterior. "Esse desempenho ratifica a revisão para baixo feita por diversas instituições da previsão do crescimento do PIB de 2003, e lança dúvidas (...) sobre a reversão dos indicadores para o ano", diz o texto. E o Iedi finaliza que "o cenário internacional de desaceleração também não colabora nas perspectivas de retomada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.