Insulza é eleito secretário geral da OEA

O ministro do interior do Chile, Jose Miguel Insulza, foi eleito hoje secretário geral da Organização dos Estados Americanos (OEA). Apoiado pelo Brasil, Insulza não obteve a vitória unânime, por aclamação, que desejava. Recebeu 31 dos 34 votos possíveis. Dois países abstiveram-se e um votou em branco. A Bolívia justificou a abstenção alegando que não poderia apoiar um chileno por causa da centenária questão da saída ao mar que tem com o país vizinho. O Peru deixou seu voto em branco, em protesto contra a alegada cessão de armas pelo Chile ao Equador durante o conflito que este país teve com o Peru, em 1995. A eleição do ministro chileno deu-se depois da retirada da candidatura do chanceler do México, Luiz Ernesto Derbez, que empatou com Insulza em cinco votações realizadas no dia 10 de abril. O último secretário geral da OEA, Miguel Angel Rodriguez, foi forcado a renunciar menos de um mês depois de ter assumido o cargo, no ano passado, sob pesadas acusações de corrupção em seu país, a Costa Rica.

Agencia Estado,

02 Maio 2005 | 15h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.